Não é raro nos depararmos com algumas dificuldades para desenvolver um orçamento de um projeto a ser financiado.

Essas dificuldades aumentam especialmente quando precisamos desenvolver uma proposta que ao mesmo tempo seja realista em termos de custos para obtenção dos resultados esperados, e ao mesmo tempo possa atender as limitações dos recursos a serem fornecidos pela entidade financiadora ao nosso projeto.

 

Sem dúvida, é muito mais fácil desenvolver e escrever os objetivos gerais e específicos de um projeto do que desenvolver o detalhamento de um orçamento para solicitar financiamento.

No entanto, a tarefa de desenvolvê-lo torna-se mais simples se você tiver um absoluto domínio em termos de conhecimento dos custos de cada ação a ser desenvolvida, e obviamente contar com a participação de toda a equipe na elaboração da peça orçamentária. Um bom captador certamente saberá ouvir cada área envolvida com o projeto e assim extrair informações úteis para o correto dimensionamento da proposta orçamentária.

Tenha sempre em mente que as agências financiadoras também terão que a apresentar suas despesas para auditores, bem como prestar contas de uma forma ou de outra quanto a destinação dos recursos doados.

Outro fator importante a ser observado é que, à medida que os formatos de orçamento se tornam cada vez mais difíceis e complexos, as despesas com a gestão e controladoria também passa a sofrer um aumento.

Contudo, lembre-se que os financiadores não estão muito interessados em custear os gastos administrativos de sua entidade. Portanto, quanto menos você propor gastos relativos às necessidades estruturais e de pessoal de seu escritório, certamente maiores serão as chances de obtenção de sucesso da proposta apresentada.

A SUPER DICA DE ORÇAMENTO Nº 4 FALA SOBRE “A PARTICIPAÇÃO DA EQUIPE NA ELABORAÇÃO ORÇAMENTÁRIA”.