São muitos os custos a serem considerados na hora de elaborar um orçamento para um projeto, alguns custos são importantes para fornecerem uma visão bem abrangente de como os recursos recebidos serão aplicados. Portanto, algumas rubricas são imprescindíveis para um bom orçamento. Confira abaixo:

1) Custos Operacionais:

Os custos operacionais incluem as despesas realizadas para implementar as atividades de um projeto ou uma entidade. Atividades como: a organização de uma reunião na comunidade; a realização de um seminário de treinamento e a realização de uma campanha de conscientização envolvem algumas despesas que deverão ser listadas sob esta rubrica.

2) Custos de Pessoal:

Os custos de pessoal referem-se às despesas utilizadas para o pagamento de salários, encargos trabalhistas e eventuais honorários de consultoria. Essas despesas também deverão incluir o recrutamento do pessoal (entrevista, orientação etc.). Deve ser levado em conta o tempo de prestação de serviços que os membros da equipe irão atuar no projeto.

3) Custos Principais:

Os custos principais também estão relacionados com as despesas operacionais, porém, esses custos impactam a organização como um todo. A maioria financiadores querem saber quanto dinheiro será gasto pela ONG com a sua administração. Os custos aqui podem incluir reuniões de pessoal, despesas de manutenção fixas etc.

4) Custos de Capital:

Estes custos incluem despesas para a compra de computadores, mobiliário de escritório, veículos, etc. Embora seja recomendável evitar ao máximo a incidência de tais custos, em alguns casos há a necessidade de prevê-los. Aconselha-se que esses custos não ultrapassem o montante equivalente a 10% do orçamento total.

5) Custos de Monitoramento e Avaliação:

São aquelas despesas voltadas para o Monitoramento e a Avaliação do projeto. Alguns formatos de orçamento trazem informações específicas sobre os custos a serem arcados para essa importante atividade necessária para a correção de aspectos do projeto que vão surgindo ao longo da implementação, bem como, a aferição  da eficácia e conformidade com os objetivos do projeto em si.

6) Custos indiretos:

Os custos indiretos são despesas que são necessárias para a execução das atividades regulares da organização. Mesmo que essas despesas possam não estar contribuindo diretamente para a implementação de um projeto, elas ainda são essenciais para manter o escritório e gerenciar os assuntos do dia-a-dia da organização. Esses custos não devem exceder mais que 10% do orçamento total em qualquer boa proposta.