Fonte: BRAVO!

Programação de música é destaque no evento que quer aproximar profissionais inovadores e público, em diversas áreas

Nascido há seis anos e cada vez mais no trilho de uma espécie de South by Southwest nacional, o Festival Path trata dos temas mais variados — de agroinovação a questões de gênero, passando por saúde e games — em meio a uma programação cultural com shows, oficinas, workshops e, neste ano, uma mostra de filmes latino-americanos. Segundo Rafael Vettori, um dos idealizadores do evento, a seleção é fruto de um ano de pesquisas por mais de 23 curadores, especialistas em diferentes áreas.

“Uma característica muito forte do festival é a horizontalidade entre o palestrante e o público. O Path não é um festival de pessoas inacessíveis e muito famosas”, diz Vettori, que explica que a equipe foi buscar em diversas regiões do Brasil, e também fora do país, os mais de 700 palestrantes. “Para se inovar, é preciso ter um repertório expandido. Num curto espaço de tempo, o festival oferece imersões rápidas em temas variados para que as pessoas saiam de lá com uma bagagem maior.”

Um dos destaques da programação são os shows, festas e palestras sobre música — tema que tem atenção especial. Fora as mesas, exclusivas para participantes (os ingressos estão no terceiro lote, a R$ 249, ou R$ 120 por workshop), os shows são gratuitos e serão realizados na Praça dos Omaguás, no restaurante Bona, na cobertura do edifício Tomie Ohtake e no Largo da Batata. “O Path conseguiu se destacar aliando conteúdo educativo com entretenimento, e essa parte só tende a crescer. Teremos também uma mostra de curtas e médias metragens, produções brasileiras, mexicanas e colombianas curadas pela Vice”, explica Vettori.

Dentre as mesas de música, alguns dos destaques são a questão do funk (“Como funciona o ecossistema do funk e por que ele incomoda tanto?”), com integrantes da Kondzilla e da Batekoo, e a expansão dos formatos musicais para fora do palco, em palestra com Chico Dub, curador do Festival Novas Frequências, e Luísa Puterman, compositora e produtora musical que investiga a percepção sonora. O rapper Rincon Sapiência falará sobre o futuro das narrativas musicais através de vídeos, e ainda Dani Ribas, Hernan Halak e Pedro Bandera discutem a tendência de ascensão da música latina no Brasil.

Em fim de semana cheio na cidade — espalhada pelo centro, pela Chácara do Jóquei e diversos palcos da cidade, a Virada Cultural também tem lineup imperdível — o Path tem entre os destaques shows da banda Tono e Mari Romano e dos paraenses Lucas Estrela e Dona Onete. As mesas se dividem entre o Instituto Tomie Ohtake, a Fnac, a Escola Britânica de Artes Criativas (EBAC), a Casa Natura Musical, a ACM e diversos outros locais da região de Pinheiros. Clique aqui para ver a programação completa e obter mais informações.