Captação de Recursos

 

Por Dr. José Carlos Soares

 

Planejamento para a Captação de Recursos – É uma das etapas mais importantes na “Gestação” da organização e na gestão de projetos.

Naturalmente sem recursos fica impossível levar adiante qualquer projeto.

Então, fica a Pergunta: Como devo me planejar a minha captação de Recursos?

A peça fundamental do quebra cabeça que é a elaboração de projetos é o orçamento.

Na “gestação” do projeto levantar o custo global é saber como terei que agir com relação a captação do valor que preciso.

O orçamento sendo a peça fundamental para se a execução do projeto nos proporciona levantar o custo global do projeto e quanto irá se pleitear de patrocínio no momento de se captar os recursos.

Com o custo global do projeto levantado, o próximo passo é saber-

• Irei captar recurso de uma só fonte;
• Buscarei várias fontes (patrocinadores);
• Parte virá de recursos próprios e parte virá de patrocínio;
• Dividirei o valor global em cotas de patrocínios;
• Qual valor atribuirei a cada cota de patrocínio
• Esses patrocínios serão iguais ou em categorias diferentes;

Mas, antes de prosseguir uma pergunta recorrente que me chega é:

Existe diferença entre Patrocínio e Apoio?

A resposta é Sim.

Patrocínio – Se caracteriza quando o patrocinador que pode ser pessoa física ou jurídica investe dinheiro para a execução do projeto tendo em troca benefícios e/ou contrapartida.

Apoio – Se caracteriza quando o apoiador que também pode ser pessoa física ou jurídica oferece ajuda estratégica para a realização do projeto, e não há exigência em se receber algo em troca.

Destaco que este artigo aborda sob o ponto de vista da busca por patrocínio.

Retomemos o tema.

Na busca de recursos deve-se identificar quais são as possíveis fontes disponíveis para apoiar o seu projeto.

Apresento algumas dessas fontes:

• Os governos Federal, Estadual e Municipal por meio de suas entidades da administração direta e indireta;
• Editais- Públicos e Privados;
• Crowdfunding;
• Indivíduos;
• Empresas privadas;
• Fundações de empresas privadas,
• Famílias e comunidades;
• Agências internacionais;

Na da busca de apoio financeiro para o seu projeto você deverá apresentar ao seu patrocinador o valor global do projeto, e qual ou quais serão as fontes de recursos para a execução do projeto.

Pois como dito, o custo do projeto poderá ser arcado por um único patrocinador ou rateado entre vários patrocinadores

Foi dito sobre a contrapartida vamos entender o que seria essa contrapartida.

Contrapartidas

Outro fator importante é você apresentar ao seu apoiador o que ele receberá em contrapartida.

Deve apresentar ao futuro apoiador do seu projeto a visibilidade e as oportunidades de comunicação e relacionamento que o projeto pode lhe oferecer.

As contrapartidas vão – desde a exposição da marca em materiais de comunicação, cotas de ingressos para ações de relacionamento e/ou espaço exclusivo para ações promocionais, marketing social, visibilidade da empresa ao apoio a Causa e por aí vai.

Incentivos Fiscais

São outras formas de investimento público por meio de leis de incentivo. Trata-se de legislação que permite a pessoas físicas e jurídicas repassarem um percentual de seus impostos devidos a projetos sociais, culturais e esportivos. Assim, parte do valor que seria pago em impostos são destinado aos projetos

Da Elaboração do Projeto

A Elaboração de Projetos deve ser feita por toda a equipe e dirigentes da Entidade, pois é uma criação coletiva, mas também é indispensável que ele seja tecnicamente construído e se a equipe ou os dirigentes não sabem elaborá-lo não se iluda a melhor opção é contratar quem sabe, agindo assim as chances do projeto sair do papel são enormes e os riscos diminuem drasticamente.

Com essas pequenas dicas esperamos ter colaborado para que você e sua Entidade tenham ciência que captar recursos para seu projeto há de ser muito bem estudada caso contrário seu projeto não sairá do papel. ]

Sucesso.

 

Dr. José Carlos Soares, Graduado em Direito pela Faculdade de Direito de Itu- e Pós-Graduado em Aspectos Sócio Econômicos da América Latina e o Mercosul pela UNISO – Universidade de Sorocaba. Advogado Militante há 28 anos, Especializado em Direito do Terceiro Setor. Ocupou o Cargo de Vice-Presidente da Comissão do Terceiro Setor da 24ª Subsecção da OAB de Sorocaba/SP. Ministra Cursos e Palestras sobre os Seguintes Temas: Captação de Recursos, Fundação e Legalização de ONG e OSC, Voluntariado, Elaboração de Projetos, Responsabilidade Social Empresarial, Gestão, Aspectos Trabalhistas para Terceiros Setor. Autor do Manual “Como Fundar Uma ONG Passo a Passo”. E-mail: terceirosetorlegal@gmail.com .