Fonte: FAPESP

Com 13% da população com mais de 60 anos, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil continua sendo um país de jovens. No entanto, a tendência é que siga envelhecendo cada vez mais rápido.

Na avaliação de pesquisadores e especialistas que participam do segundo episódio do programa Ciência Aberta em 2019, com o tema “Envelhecimento”, o país não se preparou para o aumento na proporção de idosos, que era de 10,8% em 2010 e de apenas 4,1% em 1940.

O programa é uma parceria da FAPESP com o jornal Folha de S. Paulo e reúne pesquisadores especialistas no assunto para debater questões como o envelhecimento com saúde e qualidade de vida e como a ciência pode ajudar a população a envelhecer melhor.

Os convidados são:

Alexandre Kalache, presidente do Centro Internacional de Longevidade – Brasil.

Yeda Aparecida de Oliveira Duarte, coordenadora do Estudo SABE Saúde, Bem-Estar e Envelhecimento, um Projeto Temático da FAPESP.

Luiz Roberto Ramos, gerontologista e um dos criadores da disciplina de geriatria na Unifesp e coordenador do Centro de Estudos do Envelhecimento.

O episódio, lançado em 9 de abril, também pode ser visto em www.fapesp.br/ciencia-aberta, pela página da Agência FAPESP no Facebook e no YouTube e pelo site do TV Folha.